A popularização da alta gastronomia

6 mar

Madri fusion e a onda “bistrônomica

 madrid.jpg

Sabrina Demozzi            

Pode se oferecer boa comida sem cobrar preços astronômicos? Parece que sim. A tendência de “popularizar” a grande cozinha tem crescido bastante nos últimos tempos. É uma das conclusões da recente Semana Internacional de Gastronomia Madri Fusion realizada no último dia 21 de janeiro.

Primeiro foi o legendário Paul Bocuse com quase 40 anos ocupando o posto máximo da gastronomia francesa que abriu quatro restaurantes que serviam refeições a preços módicos em sua própria cidade de Lyon (França). Depois Alain Ducasse-outro com 3 estrelas no Guia Michelin- seguiu com restaurantes da mesma espécie. Alain Senderens fechou há alguns meses seu destacado restaurante Lucas Carton, em Paris, para se dedicar à cozinha de preços econômicos e em uma coletiva de imprensa anunciou que estava “farto da irracional carreira” dos restaurantes de categoria, de seus luxos excessivos, da grande quantidade de pessoal e de seus preços “indecentes”.

Outro grande da França, Joel Robuchon, também abandonou a carreira e passou ao grupo dos “regionais a preços acessíveis”. Até o catalão Ferran Adriá, o mais prolífico e revolucionário chef  do mundo contemporâneo, inaugurou uma cadeia de restaurantes com preços módicos com o nome “Fast Good”.  

Com todos estes exemplos, não se estranha que a “Bistrônomia”, o nome com que foi batizada a nova onda, tenha sido o tema central da Semana Internacional de Gastronomia Madri Fusion, que terminou no final de janeiro na Espanha. Os conferencistas voltaram a demonstrar que se pode fazer um menu de grande cozinha a preços econômicos.

Entre eles, o catalão Rafael Peña, chef  proprietário do restaurante Gresca de Barcelona e o basco-francês Iñaki Aizpitarte, chef proprietário do Le Chateaubriand, de Paris, exemplificaram o que agora se chama “Bistrônomia”, ou seja, locais de comida “rápida” ( que é a denotação do termo “bistrô”) mas feita de forma criativa e econômica. A preços que variam entre 14 e 18 euros, os menus fixos surpreendem aos mais exigentes. A moda que se iniciou na França, já se estendeu pela Espanha e está crescendo nos Estados Unidos.            

No Brasil já é possível ver indícios desta tendência. Cresce cada vez mais esta idéia de valorização de produtos regionais com pratos criativos e inovadores.  

(Tradução livre e adaptação da matéria publicada por Mausi Sebess- Escuela de Las Artes Culinarias).  http://www.mausisebess.com      

Anúncios

2 Respostas to “A popularização da alta gastronomia”

  1. Tiziu março 6, 2008 às 2:45 pm #

    Neguinha, parabéns!!! Tá show de bola o blog. Muito bem escrito e com altas dicas pros leigos como eu que só sabem comer… Demoro, agora quero aquela costelinha de porco que vimos no “Simplesmente Marta”. Nossa, me deu fome só de pensar. Sou um cara muito temperomental. Beijossss

  2. temperomental março 6, 2008 às 3:18 pm #

    Por mim já tá combinado.

    Beijos, meu amor e obrigada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: