Arquivo | abril, 2008

Fome em dois tempos

25 abr

Fernando Sabino (1923 -2004) foi um dos maiores cronistas que o Brasil já teve. Ele era capaz de imprimir humor ou tristeza em seus textos porque tinha o olhar afiado de quem tira arte do cotidiano. Esta crônica abaixo poderia ter sido escrita há um ou dois dias. O seu tema é atemporal, mesmo que nos dias de hoje o assunto da fome parece ser apenas estético. E como sabemos não é. Logo abaixo da bela crônica de Fernando Sabino há o link com o endereço do Estadão que tem uma ótima e explicativa matéria sobre a “Crise Mundial dos Alimentos”. Vale o clique.  

Notícia de Jornal

Fernando Sabino

     Leio no jornal a notícia de que um homem morreu de fome. Um homem de cor branca, 30 anos presumíveis, pobremente vestido, morreu de fome, sem socorros, em pleno centro da cidade, permanecendo deitado na calçada durante 72 horas, para finalmente morrer de fome.
     Morreu de fome. Depois de insistentes pedidos e comentários, uma ambulância do Pronto Socorro e uma radiopatrulha foram ao local, mas regressaram sem prestar auxílio ao homem, que acabou morrendo de fome.
     Um homem que morreu de fome. O comissário de plantão (um homem) afirmou que o caso (morrer de fome) era da alçada da Delegacia de Mendicância, especialista em homens que morrem de fome. E o homem morreu de fome.
     O corpo do homem que morreu de fome foi recolhido ao Instituto Anatômico sem ser identificado. Nada se sabe dele, senão que morreu de fome.
     Um homem morre de fome em plena rua, entre centenas de passantes. Um homem caído na rua. Um bêbado. Um vagabundo. Um mendigo, um anormal, um tarado, um pária, um marginal, um proscrito, um bicho, uma coisa – não é um homem. E os outros homens cumprem seu destino de passantes, que é o de passar. Durante setenta e duas horas todos passam ao lado do homem que morre de fome, com um olhar de nojo, desdém, inquietação e até mesmo piedade, ou sem olhar nenhum. Passam, e o homem continua morrendo de fome, sozinho, isolado, perdido entre os homens, sem socorro e sem perdão.
     Não é da alçada do comissário, nem do hospital, nem da radiopatrulha, por que haveria de ser da minha alçada? Que é que eu tenho com isso? Deixa o homem morrer de fome.
     E o homem morre de fome. De trinta anos presumíveis. Pobremente vestido. Morreu de fome, diz o jornal. Louve-se a insistência dos comerciantes, que jamais morrerão de fome, pedindo providências às autoridades. As autoridades nada mais puderam fazer senão remover o corpo do homem. Deviam deixar que apodrecesse, para escarmento dos outros homens. Nada mais puderam fazer senão esperar que morresse de fome.
     E ontem, depois de setenta e duas horas de inanição, tombado em plena rua, no centro mais movimentado da cidade do Rio de Janeiro, Estado da Guanabara, um homem morreu de fome.

 

 

 

 

Matéria especial do Estadão sobre a crise mundial dos alimentos. Entenda: http://www.estadao.com.br/interatividade/Multimidia/ShowEspeciais!destaque.action?destaque.idEspeciais=588

 

 

 

Alex Atala tem o Dom

25 abr

 

Sabrina Demozzi 

 

O Restaurante D.O.M de Alex Atala localizado no Bairro dos Jardins, em São Paulo,  foi eleito o 40º melhor do mundo pela revista inglesa Restaurant. O restaurante que tem a missão de valorizar ingredientes e a cultura regional brasileira é o único da América Latina que aparece no ranking dos 50 melhores estabelecimentos do mundo que a revista divulga anualmente desde 2002. Em relação a 2007, o D.O.M caiu duas posições na lista, mas isso não tira o mérito do trabalho criativo de Alex Atala que considera que é sempre possível melhorar.

Pelo terceiro ano consecutivo o restaurante considerado o melhor do mundo foi o espanhol El Bulli do famoso chef Ferrán Adriá. Em segundo ficou o britânico The Fat Duck de Heston Blumenthal. Por sua vez, o parisiense Pierre Gagnaire, do chef  homônimo, alcançou o terceiro lugar.

No ranking por países, a França aparece em primeiro, com 10 restaurantes entre os 50 melhores. Logo atrás, ficaram Estados Unidos, com oito, e Espanha, com sete. A escolha dos melhores restaurantes do mundo foi feita por um júri internacional integrado por 700 chefs, restaurateurs e críticos especializados, 200 dos quais votaram pela primeira vez este ano. Os leitores da Restaurant, fundada em 2001, também puderam dar o seu voto sobre os restaurantes.  

 

 

Para conhecer um pouco mais do Restaurante de Alex Atala eu sugiro que você acesse o site: http://www.domrestaurante.com.br.

 

 

Para conhecer o restaurante do melhor chef  de cozinha do mundo, o catalão Ferran Adriá, entre em: www.elbulli.com. Mais informações sobre ele abaixo (Fonte: Wikipedia em inglês).  

 

Ferran Adrià Acosta:  is a chef born on May 14, 1962 in L’Hospitalet de Llobregat, Catalonia, Spain. He is the famed head chef of El Bulli restaurant in Roses, on the Costa Brava. Today he is considered one of the best chefs in the world and tops the European Restaurant Ranking.

Ferran Adrià began his culinary career in 1980 during his stint as a dishwasher at the Hotel Playafels, in the town of Castelldefels (Catalonia). The chef de cuisine at this hotel taught him traditional Spanish cuisine. At 19 he was drafted into military service where he worked as a cook. In 1984, at the age of 22, Adrià joined the kitchen staff of El Bulli as a line cook. Eighteen months later he became the head chef.

Along with British chef Heston Blumenthal, Adrià is often associated with “molecular gastronomy,” although the Catalan chef does not consider his cuisine to be of this category. Instead, he has referred to his cooking as deconstructivist. Adrià’s stated goal is to “provide unexpected contrasts of flavour, temperature and texture. Nothing is what it seems. The idea is to provoke, surprise and delight the diner.”[1] This is also combined with a large dose of irony and a sense of humour, making his dishes highly épatants (impressive). As he likes to say, “the ideal customer doesn’t come to El Bulli to eat but to have an experience.”

El Bulli is only open from April to October. Adrià spends the remaining six months of the year perfecting recipes in his workshop, “El Taller,” in Barcelona. He is famous for his thirty course gourmet menu.

He is also well known for creating “culinary foam“. In his quest to enhance flavour, Adrià discards the use of cream and egg; foam is made exclusively of the main ingredient and “air” (combined in a whipped cream maker equipped with N2O cartridges). Adrià’s foam creations include foamed espresso (Èspesso), foamed mushroom and foamed beetroot.

El Bulli has 3 Michelin stars and is regarded as one of the best restaurants in the Western world. In 2005 it ranked second in the Restaurant Top 50. It was awarded the first place in 2006, displacing The Fat Duck in England. El Bulli has retained this title in 2007 and 2008.

 

 

 

Simples como a vida. Gostoso como torta.

17 abr

Sabrina Demozzi

Jenna (Keri Russell) é uma garçonete que trabalha em uma  lanchonete perdida em alguma cidadezinha dos Estados Unidos e que trabalha para juntar dinheiro e poder fugir do marido controlador e ciumento Earl (Jeremy Sisto). A jovem direciona as suas frustrações na criação  de tortas com nomes sugestivos relacionados às suas experiências de vida. Quando ela engravida ela cria a torta “Não quero ter um filho de Earl” ou quando tem um caso com seu médico “Não posso ter uma relação porque é errado” e ainda “Miserável fracassada grávida que se autocompadece”. Um filme sobre a amizade, a maternidade e as novas chances.

 

 

O filme “A garçonete” (Waitress) está classificado como “Comédia Romântica”, mas bem que poderia ser chamado de um drama romântico. Jenna, a atriz Keri Russell do seriado Felicity, dá vida a garçonete que leva uma vida do cão. Trabalha em uma lanchonete perdida no meio do nada, é casada com um homem possessivo e ignorante e não vê grandes chances de mudar de vida. Ela tenta contornar as agruras do cotidiano fazendo tortas deliciosas com nomes sugestivos e que tem relação com os fatos da sua vida. Pra piorar, Jenna engravida do marido imbecil o que frustra as suas expectativas de fugir e ganhar um concurso de tortas e receber U$ 25.000 pelo primeiro prêmio. Nisso ela conhece o médico, Dr. Pomatter (Nathan Fillion) que vai ajudá-la com a sua gravidez e tem um caso com ele que revela a Jenna as qualidades que ela tem, fazendo tortas tão especiais e se mantendo otimista mesmo em condições tão adversas.

 

O filme tem algumas cenas bastante tristes, como quando Jenna escreve uma carta para o bebê e diz que a sua mãe ficaria envergonhada de ver como Jenna é pobre e infeliz. Ou quando o marido Earl frustra a sua idéia de fugir para participar do concurso de tortas e a agride. Mas, mesmo nestas condições ela é muito radiante e gentil com as suas colegas de trabalho e clientes. Um cliente em especial, Joe (Andy Griffith), é responsável por um dos raros momentos de alegria na vida de Jenna. Conhecido por rabugento, o velho Joe é muito carinhoso com Jenna, e em uma cena pede a “Torta Especial da Jenna, Oásis de Chocolate e Morango” e diz que a quarta feira é um dia especial pra ele porque ele come uma fatia desta torta. “Penso nisso quando acordo. Essa torta resolveria todos os problemas do mundo. É um exemplo de beleza. Como cada sabor se revela um após o outro, como um capítulo de um livro. É como um velho caso de amor”, diz o velho Joe. Eu diria que o filme vale por esta cena que é muito bonita.

 

Alguns críticos disseram que o filme é um “amontoado de clichês”, não sou crítica de cinema, mas sou obrigada a discordar. É um filme autoral, singelo e que trata da figura feminina como uma “anti-heroína”. Jenna é uma mulher linda, mas percebe-se que há muito tempo ela não pinta o cabelo ou se arruma. O uniforme de garçonete parece ser a sua segunda pele e a sua vida miserável parece acompanhar todos os passos de seu dia. Digo que o filme é autoral porque a diretora e roteirista Adrienne Shelley, que faz a adorável Dawn no filme, estava grávida de sua filha Sophie quando escreveu o roteiro. Lamentavelmente, não pode usufruir do sucesso do seu filme, já que foi assassinada em novembro de 2006 durante uma discussão com um pedreiro.

 

Um filme lindo, sem muitas pretensões, com imagens apetitosas de tortas, trilha sonora delicada e atuações bem honestas. Eu arriscaria uma frase de efeito e diria que é simples como a vida. E delicioso como as tortas da Jenna.

 

 

Ficha Técnica

Título Original: Waitress

Gênero: Drama

Tempo de Duração: 107 minutos

Ano de Lançamento (EUA): 2007

Disponível para locação

 

Dica temperomental: As receitas de Jenna viraram febre na internet. Muitos sites estão divulgando as receitas que a garçonete fazia na lanchonete. Quem quiser conferir acesse: http://www.bakespace.com ou http://www.beautyandthedirt.co.uk. Vale o clique.  

Adrienne Shelley- Atriz, diretora e roteirista de “A Garçonete”.

 

Keri Russell é Jenna que faz tortas deliciosas e “conceituais”.

 

 

Dicas de cozinha para amadores, profissionais, não tão profissionais, entusiastas, churrasqueiros e etc.

14 abr

 

            Vai fazer um churrasco e mal sabe por onde começar? Quer fazer um bolo e acha melhor comprar pronto? Seus problemas acabaram! Há muitos sites disponíveis com dicas para todos os mortais que tentam e querem cozinhar. Um deles que eu indico é o www.irenes.com.br. Tem um milhão de dicas que vão desde aves até vinhos, para quem é amador na cozinha ou pra quem precisa de umas dicas. Vou postar aqui, a pedidos, uma série de dicas. Pra começar a parte número 1 da saga “Churrasco”. Pra imprimir e deixar guardado na gaveta da cozinha.

 

 

Churrasco – Parte 1  

 

Tempo de fogo em braseiro forte:

 

Picanha mal passada = 5/6min

Picanha ao ponto = 8/10 min

Picanha bem passada = 14/16 min

Fraldinha ao ponto = 15/18 min

Maminha inteira = 20/22 min

Costelinha de porco = 15/18 min

Lingüiça de porco = 15/20 min

 

Tempo de fogo em braseiro médio:

 

Coxa e sobrecoxa de frango = 25/30 min

Peito de frango = 20/25 min

Galeto = 15/20 min

Coraçãozinho = 10/15 min

Pimentão e cebola = 15 min

 

 

1) Corte as carnes sempre no sentido contrário aos das fibras, para que fiquem macias. Use sempre sal grosso para temperar a carne. Não utilize salmoura, a água muda o PH da carne e, juntamente com o sal fino, enrijece as fibras e endurece a carne.

 

 

2) Prepare o fogo cuidadosamente, de maneira a poder ter uma boa camada de brasas. Disto depende o sucesso da preparação. A camada deve ter a mesma largura da grelha e boa espessura.

 

3) Não utilize uma grelha que não seja de aço inoxidável. Deve ser de divisões cilíndricas bem finas.

 

Tempero

Para as carnes bovinas, é um só: o sal grosso e nada mais. Ele deve ser passado por todos os lados da peça que será assada.

 

 

4) Esquente perfeitamente a grelha antes de usá-la e cuide para que, sobre as brasas, apareça uma leve camada de cinzas que dará um cozimento perfeito.

 

 

5) Não unte (passar óleo) nunca a carne antes de grelhá-la, a menos que tenha sido colocada numa marinada (deixar a carne de um dia para o outro em temperos como vinho, ervas, alho e outros). Neste caso, escorra-a muito bem. Os peixes de qualquer tipo devem ser untados, evitando assim que a pela grude na grelha, rompendo-se.

 

6) Tenha sempre a mão uma pinça dupla achatada ou uma espátula. Não use garfo em caso nenhum. Espetando a carne ou o peixe fará sair seu liquido ou o sangue, endurecendo-os.

 

7) Cozinhe a carne no calor das brasas e nunca diretamente sobre a chama. Se começar a fumegar, não interrompa o cozimento.

 

8) Se aparecer chama sobre as brasas, desloque imediatamente o alimento que está sendo preparado. Não tempere com sal ou pimenta-do-reino durante o cozimento. Faça-o somente quando tudo estiver servido nos pratos.

 

9) Um bom truque para fazer fogo em churrasqueira: embeba um pãozinho do tipo francês em álcool e coloque-o sobre a lenha ou carvão. Jogue um fósforo aceso e pronto.

 

10) Outro truque: pegue uma folha dupla de jornal, dobre até ficar da altura de uma garrafa de cerveja. Enrole o jornal na garrafa, coloque-os no centro da churrasqueira, coloque carvão em volta formando uma pirâmide, retire a garrafa de cerveja, mantendo o túnel de jornal. Acenda o jornal e pronto.

 

11) No início do churrasco deixe a carne bem junto ao fogo, mas só o tempo suficiente para chamuscar de leve. Isso bloqueia o pedaço de carne e conserva os sucos naturais em seu interior.

 

12) Salpique folhas de alecrim sobre o carvão da churrasqueira, ele dará um sabor especial à sua carne.

  

13) Para tirar o cheiro forte de churrasco que invade toda a casa, coloque uma esponja embebida em vinagre, perto da churrasqueira.

 

14) Tanto a picanha como a maminha são servidas ao ponto e cortadas em fatias não muito grossas quando assadas em peças. A espessura deve ser de 3 cm. A camada de gordura tem de estar uniforme em ambos os casos, e os nervos e peles removidos antes de salgar.

 

15) Aves, peixes, carnes bovinas, bufalinas, suínas, ovinas… Em geral, as chamadas ‘carnes brancas’ são usadas como entrada por serem mais leves e boas para abrir o apetite.

 

16) A fraldinha, uma carne muito suculenta. Mas tome cuidado com ela, pois pode ficar muito crua por dentro e passar do ponto rapidamente, ficando seca. Escolha sempre fraldinhas grandes e gordas. A gordura não deve ser comida.

 

17) O miolo de alcatra, o contrafilé e a bisteca com osso são peças espessas e por isso mesmo ficam melhor quando cortadas em postas de 3 cm.

 

18) Cuidado ao salgar as carnes. Se nas peças inteiras o sal grosso deve ser à vontade, nas carnes em postas deve ser usado com atenção.

 

 

19) Lingüiça: As lingüiças do tipo calabresa e toscana são ideais para serem preparadas no churrasco, ambas podem ser assadas tanto na grelha quanto em espetos. Ficam prontas em cerca de 15 minutos, por isso são indicadas para abrir o churrasco enquanto assam as carnes mais demoradas.

 

 

20) Frango: Escolha os pedaços de sua preferência e tempere-os com vinho branco seco, limão, pimenta do reino e sal a gosto. Monte a grelha a uma altura de 15 cm a 20 cm e asse de acordo com a sua preferência. Um assado mais lento pode demorar cerca de 40 minutos ou, se preferir um assado mais rápido para que a carne fique mais crocante, posicione mais próximo ao calor e asse por 20 minutos.

 

21) Sempre lembrar: melhor sal a menos, que ainda dá para corrigir.

 

 

Tempero Churrasco Ingredientes:

Alecrim, salsa, orégano, pimenta do reino, alho, sal e M.S.G. (monossódico glutamato).Mistura das especiarias mais indicadas para ressaltar todo o sabor dos churrascos, bifes e assados.

 

22) Sobre descongelamento: se a carne estiver congelada o ideal é deixar que descongele por 24 horas na geladeira para manter maciez e sabor da carne (evitar o descongelamento na temperatura ambiente, pois o choque térmico pode alterar as características da carne).

 

Acompanhamentos para seu churrasco

– Vinagrete: O vinagrete à brasileira é versátil nas mesas de churrasco: acompanha a carne, funciona como molho para a salada, combina com a lingüiça bem assada e até serve como recheio do pãozinho francês.

– Farofa : aposte em uma farofa simples, com manteiga e cebola, por exemplo.

– Saladas: Oferecer três tipos de salada é suficiente para um churrasco de médio porte. Não deixe faltar: um mix de folhas verdes; uma receita com carboidrato, como uma salada com batata, arroz ou massa; e uma terceira versão mais transada, combinando legumes crus ou cozidos, folhas, tomate, enfim, o que sua imaginação sugerir. Pode-se também organizar uma mesa bufê de saladas simples, tipo agrião, cenoura ralada, alfaces, rabanetes, etc. C/ molheiras e molhos diversos.

– Pratos quentes: dependendo do horário e do público alvo, principalmente se houver muitas crianças, é aconselhável

incluir arroz, feijão, banana frita, e variações a seu gosto: arroz de carreteiro, pastelzinho, mandioca frita, polenta, até macarrão ao sugo. Tudo vai depender da estrutura que será colocada à disposição.

– Para beber: Cerveja, refrigerante, água, caipirinha.

 

 

http://paginas.terra.com.br/lazer/bolagrill/simulador.htm- A página é meio feinha, mas, se você precisa saber o quanto comprar para fazer um churrasco eu indico estas planilhas. É só colocar o número de pessoas (homens, mulheres e crianças) que calcula automaticamente. Fácil e rápido.

 

 

 

 

 

E que tal um Modigliani?

14 abr

Evocações: Modigliani

 

El Pa�s Image

Grafismos de Keith Haring

 

 

 

O Thyssen estréia um cardápio artístico e Alejandro G. Urrutia cozinha obras pop

 

Matéria de Rosa Rivas:

Tradução: Sabrina Demozzi

 

 

            Vou postar hoje uma bela matéria de Rosa Rivas do periódico espanhol El País sobre menus inspirados em obras de arte. Antes quero dizer que a tradução que faço é livre, e se alguém se interessar pela matéria, por favor, acesse www.elpais.com.   

 

Para alimentar sua relação com a arte a cozinha segue dando pinceladas. O deleite ao contemplar uma tela pode ser o mesmo à mesa. É este o objetivo do “Menu Modigliani” que estreou no restaurante do Museu Thyssen-Bornermisza de Madri: uma salada quase cubista, com ingredientes, cortes e cores que evocam rostos de Max Jacob; um suntuoso prato de massa (fetuccini negro, vermelho e laranja) evocando os famosos nus do artista italiano; um magret Montparnasse que faz jogo com as cores de seus quadros e homenageia o bairro parisiense onde viveu, e um chocolate em escultura, com as largas cabeças de inspiração africana esculpidas pelo autor como base.

 

Este Modigliani será servido ao meio-dia e custará em média 25 euros. O responsável de cozinha pelo grupo Paradis, José Carlos González assegura que a idéia é não fazer um preço absurdo: “Temos feito intencionalmente um preço não elitista. A arte tem que ser acessível”. Ele leva a cabo uma idéia de Paz Ivison (Prêmio Nacional de Gastronomia 2000). “Não queremos ser uma simples cafeteria de museu. A idéia é manter uma dinâmica de gastronomia e arte”, diz o cozinheiro”.

 

Este é o  propósito – de que os visitantes depois de visitar a exposição possam degustar as obras-. A próxima iniciativa será incluir mais pratos com referências aos artistas e suas obras. Já está disponível um prato rápido inspirado em Miró e a idéia se deseja levar ao Museu do Prado, cujo  restaurante também é gerenciado pelo grupo Paradis.  

 

Enquanto os ecos boêmios de Modigliani se comem agora nas trilhas dos Museus de Madri, o pop reina há muitos anos na cozinha do asturiano Alejandro García Urrutia. Seu restaurante em Gijón, com estrela Michelin concedida em 2006, é na verdade uma galeria: Galeria: Arte&Comida. Os clientes estão rodeados pela coleção privada da empresa MBA, com obras de Andy Warhol, Keith Haring, Roy Lichtenstein, Robert Indiana… e logo repetem uma degustação artística com as recriações de Urrutia, que adapta seu cardápio aos quadros expostos nas paredes.  

 

Assim, na parábola de Keith Haring, as perninhas das lulas parecem correr como os bracinhos do artista norteamericano. “É a visão de como partes distintas chegam a um todo. Uma mistura de componentes. Mas, deixo um ponto de vista aberto. Nem tudo acaba no prato. Pense, divirta-se, se deixe levar”, pede Urrutia. Uma mensagem que vale para o prato “Falando com Lichtenstein”. “Quantas comidas e cenas reproduzimos ao longo de nossas vidas sem nos preocuparmos com o trabalho que há por trás disso?”, diz o cozinheiro, que tem colaborado com artistas como dEmo, Alicia Martín e Claudia Stilianopoulos. Com base nos quadros de Galeria arte&comida, o chef  fará um desembarque na cozinha do Cantábrico de 22 até 2 de abril no Hotel Palace em Madri. Serão servidos: dEmo al nu, essências silvestres com geléia.

 

 

Para saber mais:

Amedeo Clemente Modigliani (Livorno, 12 de Julho de 1884Paris, 24 de Janeiro de 1920) nasceu na região de Toscana e foi um pintor e escultor italiano que viveu em Paris. Como outros pintores e artistas, viveu a experiência da extrema pobreza. Por meio dos companheiros de arte, conheceu o poeta polaco Leopold Zborowski, que se tornaria seu melhor e mais devotado amigo, além de incentivador e marchand. Em 1917, Zborowski consegue, para Modigliani, uma exposição individual na galeria Weil. A exposição durou apenas um dia, pois se transformou num escândalo graças ao nus expostos na vitrine da galeria. Fruto de diversas culturas, amigo de tantos artistas e encontrando-se numa conturbada fase de questionamentos e transições, sua obra entretanto não pode ser considerada filiada a nenhum dos estilos, dotada toda ela de um estilo próprio e autônomo. Seus nus, que provocaram escândalo em seu tempo, revelam não sensualidade, mas um desnudamento da alma humana. Seu estilo, faz parte de um momento em que a arte pictórica, confrontada com a fotografia, lutava para conquistar seu espaço, seus valores e sua estética. (Fonte: Wikipédia).

Roy Fox Lichtenstein (Nova Iorque, 27 de outubro de 1923 — Nova Iorque, 29 de setembro de 1997) foi um pintor estado-unidense identificado com a pop art. Em sua obra, procurou valorizar os clichês das histórias em quadrinhos como forma de arte, colocando-se dentro de um movimento que tentou criticar a cultura de massa tornando-a objeto da arte. Seu interesse pelas histórias em quadrinhos como tema artístico começou provavelmente com uma pintura do camundongo Mickey, que realizou em 1960 para os filhos. Em seus quadros a óleo e tinta acrílica, ampliou as características das histórias em quadrinhos e dos anúncios comerciais, e reproduziu a mão, com fidelidade, os procedimentos gráficos. Empregou, por exemplo, uma técnica pontilhista para simular os pontos reticulados das historietas. Cores brilhantes, planas e limitadas, delineadas por um traço negro, contribuíam para o intenso impacto visual. Com essas obras, o artista pretendia oferecer uma reflexão sobre a linguagem e as formas artísticas. Seus quadros, desvinculados do contexto de uma história, aparecem como imagens frias, intelectuais, símbolos ambíguos do mundo moderno. O resultado é a combinação de arte comercial e abstração. (Fonte: Wikipédia).

Keith Haring oficial website: http://www.haring.com.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

10 vinhos mais caros do mundo (muito caros)

5 abr

Tem um Blog chamado QVinho que listou há pouco tempo os dez vinhos mais caros do mundo. Eu fui conferir e caí pra trás. É um troço de louco. Bem, pra mim é, já que eu sou do tipo de consumidora que compra vinhos de até R$ 40 (e olhe lá). O mais interessante é que estes vinhos fazem parte do refinado mundo dos leilões de vinhos caros que movimentam milhões de dólares por ano. Casas famosas de leilões como a Christie’s, a Sotheby’s e a Antique Wine Company. O autor do blog é enfático em reconhecer que este mercado não é só para apreciadores de um bom vinho. É voltado principalmente para colecionadores e investidores profissionais do ramo. Para quem quiser conhecer o blog, que é ótimo, eu recomendo que você acesse http://www.qvinho.com.br . Por aqui vou listar os 10 vinhos mais caros do mundo: Dá uma conferida.

 

  

 1. Château Lafite Rothschild 1787

Valor: $156.450

Dezembro de 1985, Christie’s, Londres

 

2. Château d’Yquem 1811

Valor: $100.000

Fevereiro de 2006, Antique Wine Company, Londres

 

3. Penfolds Grange Hermitage 1951

Valor: $50.200 dólares australianos (aproximadamente US$38,420)

Maio de 2004, Melbourne, Austrália

 

4. Cheval Blanc 1947

Valor: $33.781 por uma garrafa de 750 ml. ($135,125 por 3 garrafas)

Julho de 2006, Vinfolio, San Francisco

 

5. Château Mouton-Rothschild 1945

Valor: $28.750

Setembro de 2006 – Christie’s, Los Angeles

 

6. Inglenook Cabernet Sauvignon Napa Valley 1941

Valor: $24.675 / garrafa

Outubro de 2004 – Zachys, Los Angeles

 

7. Montrachet Domaine de la Romanée Conti 1978

Valor: $23.929 / garrafa

2001 – Sotheby’s, Nova Iorque

 

8. DRC Romanée Conti 1934

Valor: $20.145 / garrafa

Junho de 2006 – Hart Davis Hart, Chicago

 

9. Hermitage La Chapelle 1961

Valor: $ 20.130 / garrafa (lote de 12 garrafas por 123.750 libras)

Setembro de 2007 – Christie’s, Londres

 

10. DRC Romanée Conti 2003

Valor: $4.650 / garrafa

 

 

 

 

Festa da Saideira Boteco Bohemia

2 abr

A Festa da Saideira do Boteco Bohemia vai acontecer no dia 05 de abril (sábado) a partir das 16h na Visconde de Guarapuava, 2555, no Centro. Lá vão ser anunciados os vencedores desta edição do Boteco Bohemia em Curitiba nas categorias: melhor petisco, melhor atendimento, melhor ritual de servir a Bohemia, além do Garçom Nota 10 de cada um dos bares.  

Se você não teve a chance de provar os quitutes concorrentes então se anime porque no dia da Festa da Saideira haverá “réplicas” dos bares participantes que vão servir os petiscos. Para arrematar, a programação musical vai contar com Trio Mocotó e Martnália. Os ingressos custam R$ 30 e R$ 15 (estudantes) e já estão à venda nos 20 bares participantes. Vou listá-los aqui e colocar junto com algumas fotos dos deliciosos petiscos concorrentes. Eu já tenho um preferido e só conto depois que sair a premiação.    

Armazém Santa Ana

Petisco Concorrente: Escondidinho (carne seca desfiada com purê de mandioca gratinado) Endereço: Av. Salgado Filho, 4460 – Uberaba

Horário: de 2ª a 6ª, das 10 às 24 horas; sábado, das 10 às 22 horas; fechado aos domingos.

 Barolho (inédito)Petisco Concorrente: Mignon Azedo (cubos de carne ao molho de    limão  e ervas)

Endereço: R. Manoel Eufrásio, 1350 – Centro Cívico

Horário: 2ª a sábado, das 11 às 2 horas; fechado aos domingos.

 

Bar Curityba

Petisco Concorrente: Cubos de pernil de carneiro ao molho de hortelã e vinho

Endereço: Al. Presidente Taunay, 444 – Batel

Horário: de 4ª a 6ª, das 18 horas à 1 hora; sábado, das 12 às 19 horas; domingo, das 12 às 16 horas.  Fechado 2ª e 3ª.

 Bar do Dante (inédito)Petisco Concorrente: Bolinho de Carne (carne moída empanada e frita)

Endereço: R. Conselheiro Carrão, 194 – Juvevê

Horário: de 2ª a sábado, das 7 às 23 horas; fechado aos domingos.  

Bar do Edmundo  Petisco Concorrente: Bolinho de camarão (camarão sete barbas empanado e frito)

Endereço: Av. Erasto Gaertner, 1764 – Bacacheri

Horário: de 2ª a sábado, das 18 às 24 horas; fechado aos domingos.

Bar do Ligeirinho

Petisco Concorrente: Testículo de toro (testículos de touro ao molho de tomate servido com pão fatiado)

Endereço: Rua Carlos de Carvalho, 120 – Centro

Horário: de 2ª a 6ª, das 12 às 24 horas; sábado, das 11 às 24 horas; fechado aos domingos. 

Bar do Pudim

Petisco Concorrente: Bolinho de Siri (carne de siri desfiada, empanada e frita)

Endereço: Praça do Redentor, 322 – São Francisco

Horário: 2ª, das 17 às 24 horas, 3ª e 4ª, das 11 às 24 horas; 5ª a sábado, das 11 horas à 1 hora; fechado aos domingos.

Bar dos Passarinhos

Petisco Concorrente: Camarão Crocante (camarão branco graúdo, empanado e frito)

Endereço: Al. Princesa Isabel, 1901 – Bigorrilho

Horário: de 2ª a 6ª, das 18 horas às 23 horas; sábado, das 19 às 23 horas; fechado aos domingos.

 Cantina dos Açores (inédito) Petisco Concorrente: Bolinho de Bacalhau (bacalhau desfiado, misturado com batata, empanado e frito)

Endereço: Euzébio da Mota, 306 – Juvevê

Horário: de 2ª a 6ª, das 16 horas até o último cliente; sábado e domingo, das 8 às 20 horas.

 Casa di Bel Petisco Concorrente: Carne de Panela de Bel (carne cozida com vinho tinto e batatas e servida com pão fatiado)

Endereço: Al. Dom Pedro II, 602 – Batel

Horário: de 3ª a 6ª, das 18 às 2 horas; sábado, das 12h30 às 3 horas; domingo, das 12 horas à 1 hora. Fechado 2ª. 

 Casa Velha Petisco Concorrente: Bolinho de mandioca com carne seca (carne seca desfiada empanada com purê de mandioca)

Endereço: Rua Mateus Leme, 5981 – Abranches

Horário: de 2ª a sábado, das 10h30 às 2 horas; fechado aos domingos.

 

Folha Seca

Petisco Concorrente: Pastel do Folha (pastel de carne-seca, tomate-seco e catupiry)

Endereço: Rua Petit Carneiro, 394 – Água Verde

Horário: de 2ª a 6ª, das 17 às 2 horas; sábado, das 12 às 2 horas; fechado aos domingos.

 

Jabuti

Petisco Concorrente: Pasteizinhos de pernil (pastel recheado de pernil de porco desfiado)

Endereço: Rua Professor Assis Gonçalves, 1506 – Água Verde

Horário: de 2ª a 6ª, das 17 horas à 1 hora; sábado, das 12 à 1 hora; fechado aos domingos.

 

Jacobina

Petisco Concorrente: Costelinha de Adão (costelinha de porco frita com cobertura de coco ralado)

Endereço: Rua Almirante Tamandaré, 1365 – Alto da XV

Horário: de 2ª a sábado, das 11 horas à 1 hora; fechado aos domingos.

 

Paraguassu

Petisco Concorrente: Ciranda de lingüiça (disco de queijo com tomilho, ragu de linguiça com limão e crocante de alho poró)

Endereço: Rua Machado de Assis, 525 – Juvevê

Horário: de 3ª a 6ª, das 11h30 às 15 horas; das 18 às 23 horas; sábado, das 11h30 às 23 horas; das 18 às 23 horas; domingo, das 11h30 às 16 horas. 

 Peach Café (inédito)Petisco Concorrente: Iscas de Filet ao molho de pimenta rosa (tiras de filet fritas ao molho bechàmel)

Endereço: R. XV de Novembro, 1162 – Centro

Horário: 2ª a 6ª, das 11h30 às 2 horas; domingo, das 16 às 24 horas. Fechado aos sábados.

 Pick Nick (inédito)Petisco Concorrente: Asinha de Frango (fritas e servidas com alho e molho de pimenta)

Endereço: Manoel Ribas, 5966 – Santa Felicidade

Horário: 3ª, das 19 às 5 horas; de 4ª a domingo, das 15 às 5 horas; fechado 2ª.

Sandwicheria República

Petisco Concorrente: Sanduíche de Pernil (pernil de porco desfiado servido no pão francês com cheiro verde)

Endereço: Av. República Argentina, 1300 – Água Verde

Horário: de 2ª a sábado, das 11h30 até o último cliente; domingo, das 18 até o último cliente.

 

Valentina (inédito)

Petisco Concorrente: Caldinho de Feijão (servido com cheiro verde e pão)

Endereço: Almirante Gonçalves, 2848 – Água verde

Horário: de 2ª a 6ª, das 17h30 às 24 horas; sábado, das 12 às 24 horas; fechado aos domingos.

 

Zezito´s

Petisco Concorrente: Picanha com ervas (carne fatiada frita e servida com pão e molho especial)

Endereço: Rua Bento Viana, 118 – Água Verde

Horário: de 2ª a 6ª, das 18 às 3 horas; fechado aos sábados e domingos.

Vai dizer que não ficou com vontade? Então dá uma olhada nas fotos…

Bolinho de camarão do Bar Edmundo  

 Bolinho de siri do Bar do Pudim

 

Pastel de tomate seco, catupiry e carne seca do Folha Seca.  

 

No Jacobina o petisco é Costelinha de Adão: Costelinhas de porco fritas com cobertura de coco ralado.    

 

 

 

No Barolho é o Mignon Azedo.