Arquivo | setembro, 2008

Blogs de meninos que valem o clique

17 set

Sou uma “caçadora” de blogs. Adoro procurar blogs de todas as partes do mundo e também sobre os mais diferentes assuntos.  Li na semana passada um blog de um piá (não sei se é piá, mas só podia, e devia ser de prédio) que dizia ser de humor. Mas, acredito que ele por não entender nem de humor, nem de nada criticou um outro blog sugerindo que o autor “largasse aquela porcaria e fosse escrever sobre culinária.” Da maneira que foi escrito deu a entender que culinária é um assunto menor, corriqueiro e que não é importante para discussão. Tomara que o piá leia este meu post (vou enviar pra ele) e aprenda um pouco sobre humor e culinária com os textos excelentes retirados de blogs de gastronomia, culinária e cozinha feitos por meninos muito dos prendados.  Vou postar algumas dicas aqui para vocês.

Sabrina Demozzi

Macho GourmetO mundo contemporâneo impõe exigências descomunais, sobretudo para o homem que quer seduzir. Em todas as esferas da vida social, ele precisa demonstrar proficiência fora do comum para chamar sobre si a atenção de sua doce metade. Nem mesmo na cozinha ele escapa.

Saem-se melhor aqueles favorecidos pela fortuna, em todos os sentidos do termo. Ou porque tiveram a sorte de serem agraciados com uma aparência que suscita suspiros das pretendentes – “aaaaaaaai, que gatinho!…” – ou porque dispõem de dinheiro suficiente para levá-las para jantar nos restaurantes mais caros e badalados (o que não significa que sirvam a melhor comida, mas nessas ocasiões ninguém repara muito no conteúdo do prato, já que outros sentidos estão sendo muito mais estimulados do que o paladar).

Entretanto, nem mesmo tais benesses salvam a pele do homem de hoje. O modelo que a sociedade apresenta e que muitas mulheres procuram não é apenas o sujeito garboso ou o detentor de um cartão de crédito matador. O macho atual tem que ser tudo isso e mais. Tem de provar que, para além do verniz de um jovem profissional urbano bem-aparentado e bem-sucedido, esconde-se um amante da vida simples, desapegado dos bens materiais e da sociedade de consumo, que não liga em gastar horas de seu precioso tempo botando a mão na massa (no caso, para uma quiche de aspargos), mesmo sabendo que isso vai arruinar seu esmalte (transparente) e que ele poderia pagar quinze pessoas para fazer todo o serviço melhor e mais rápido.

“Carpe diem” com “do-it-yourself”, Horácio mais a seção de importados do Pão-de-Açúcar, é isso que elas querem. Ai de nós. O que fazer?

Continua em: http://www.cronistasreunidos.com.br/ze/2006/03/macho-gourmet/

Cuecas na cozinha– 17 de Setembro de 2008

A Pizza de Alho-Poró com Cream Cheese da Brascatta

Quando o assunto é pizza, cada um tem a sua preferência. Eu, por exemplo, gosto das de bordas mais grossas (amo comer uma boa massa de pizza) e crocantes. Também prefiro os discos bem assados, por isso não curto comer nas pizzarias mais antigonas que deixam a massa um tanto crua misturada com o molho. Quanto ao molho prefiro o de tomates frescos e crus.

Mais? Em: http://www.cuecasnacozinha.com

Senhor Prendado– Muitas receitas, detalhadíssimas e muito bem fotografadas passo a passo.  A sugestão do senhor prendado deste mês de setembro é Lingüiça caseira, feijão branco e sálvia. Vale o clique.  

Quer anotar as receitas deliciosas dele? Então vai em: http://www.senhorprendado.blogspot.com

Dica temperomental

Qual é o seu nível de “cozinheiro”? Vou sugerir quatro livros que podem te ajudar: Se você está no nível 1 (faz o básico, reconhece algumas leguminosas e folhas, faz arroz, purê de batata, sabe cozinhar macarrão, sabe preparar alguma carne) minha sugestão é algum livro do Jamie Oliver. Ele tem dicas ótimas para quem não é chef, mas tem vontade de cozinhar melhor. Geralmente, os ingredientes sugeridos por ele são baratos e podem ser substituídos.

Nível 2– Se além de você conhecer os ingredientes você já sabe substituir, conhece algumas expressões, sabe o tempo de cozimento, de assados no forno e também arrisca algumas invenções, invista em “Segredos de chefs” de Francine Maroukian.  Muitas receitas com as técnicas dos melhores nomes da gastronomia mundial.

Nível 3– Você já consegue identificar temperos nos pratos. Descobre aromas, texturas e até a marca dos produtos. Sabe diferenciar entre os infinitos cortes de legumes, de carnes e pensa que consegue reproduzi-los com facilidade. Conhece o mercado municipal como a palma de sua mão. Sabe o nome dos pratos. Neste caso, você tem que ter dois livros, o primeiro é:  Le Cordon Bleu: Todas as técnicas culinárias. Como você deve saber Cordon Bleu é a lendária escola francesa de cozinheiros. Quem gosta de cozinha tem obrigação de, pelo menos, conhecer as famosas técnicas e os procedimentos no trato com alimentos. O outro livro é “Receitas Originais do Chef Claude Troisgros”. Não preciso dizer nada. Claude tem o dom de transformar comida em obra de arte e apesar de tudo parecer simples, não é. Note a maneira que ele dispõe os ingredientes, nada está ali por acaso. Tudo faz sentido e se completa. Um verdadeiro artesão do alimento.

 

  

 

 

 

    

 

Morango com aceto balsâmico

1 set
Taça de morango com aceto

Taça de morango com aceto

O nosso querido Alex Atala fez uma vez, assim como quem não quer nada. Pegou um punhadinho de morangos bem vermelhos, lavou (com os cabinhos, né minha gente, que é para não entrar água no morango e conservar melhor o sabor) e colocou umas colheres de aceto balsâmico. Ele deixou curtindo um tempo e serviu com uma bola bem generosa de sorvete de creme. Fiz estes dias, sem sorvete, mas com panquecas. Ficou muito bom. Minha sugestão é fazer uma calda de chocolate, bem ralinha ou mesmo reduzir o balsâmico com mel e decorar o prato. Daí você faz uma panqueca enrola ela como um “triângulo”, e enche com os morangos macerados. Para finalizar, gergelim torrado. Ou ainda, sorvete de banana. Sempre acho que banana e morango formam uma dupla imbatível.  

Que tal tentar?