Arquivo | abril, 2009

Pimentão é o alimento com maior índice de agrotóxicos de acordo com dados da Anvisa

27 abr

O pimentão foi o alimento que apresentou o maior índice de irregularidades para resíduos de agrotóxicos, durante o ano de 2008. Mais de 64% das amostras de pimentão, analisadas pelo Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA) (PDF) da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), apresentaram problemas. O morango, a uva e a cenoura também apresentaram índices elevados de amostras irregulares, com mais de 30% cada.

agrotoxicos

No lançamento dos dados do Programa, nesta quarta-feira (15 de abril), em Brasília (DF), o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, destacou a importância do trabalho da Anvisa no monitoramento de resíduos de agrotóxicos em alimentos. “No Brasil, a segunda causa de intoxicação, depois de medicamentos, é por agrotóxicos, o que tem uma dimensão importante”, afirmou Temporão.

 Os desvios detectados pelo PARA foram: teores de resíduos de agrotóxicos acima do permitido e o uso não autorizado para determinadas culturas. No balanço geral, das 1773 amostras dos dezessete alimentos monitorados (alface, batata, morango, tomate, maça, banana, mamão, cenoura, laranja, abacaxi, arroz, cebola, feijão, manga, pimentão, repolho e uva), 15,28% estavam insatisfatórias.

A cultura de tomate foi a que apresentou maiores avanços quanto à diminuição dos índices de irregularidades. Em 2007, 44,72% das amostras de tomate analisadas apresentaram resíduos de agrotóxicos acima do permitido. No último ano, esse número caiu para 18,27%.

O arroz e o feijão, coletados pela primeira vez no Programa de 2008, apresentaram índices de irregularidades de 3,68% e 2,92% respectivamente. Juntamente com a manga, batata, banana, cebola e maçã, esses dois alimentos apresentaram os menores teores de irregularidade detectados.

A batata, que em 2002, primeiro ano de monitoramento do Programa, apresentou um índice de 22,2% de uso indevido de agrotóxicos, teve o nível reduzido para 2%. A banana, que chegou a apresentar índice de 6,53% neste período, fechou 2008 com incidência de 1,03% de irregularidades.

Chama atenção, nos resultados do Programa, o uso de agrotóxicos não permitidos, em todas as culturas analisadas. Ingredientes ativos banidos em diversas partes do mundo, como acefato, metamidofós e endossulfam, foram encontrados de forma irregular nas culturas de abacaxi, alface, arroz, batata, cebola, cenoura, laranja, mamão, morango, pimentão, repolho, tomate e uva.

Cuidados que o consumidor deve ter em relação aos alimentos

Para reduzir o consumo de agrotóxico em alimentos, o consumidor deve optar por produtos com origem identificada. Essa identificação aumenta o comprometimento dos produtores em relação à qualidade dos alimentos, com adoção de boas práticas agrícolas.

É importante, ainda, que a população escolha alimentos da época ou produzidos por métodos de produção integrada (que a princípio recebem carga menor de agrotóxicos). Alimentos orgânicos também são uma boa opção, pois não utilizam produtos químicos para serem produzidos.

Os procedimentos de lavagem e retirada de cascas e folhas externas de verduras ajudam na redução dos resíduos de agrotóxicos presentes nas superfícies dos alimentos.

Informações: Ascom/Assessoria de Imprensa da Anvisa

 

Anúncios

Prefiro Marta

14 abr

Sabrina Demozzi

Algumas pessoas me mandaram e-mails perguntando o que eu acho do filme “Sem reservas” (2007) estrelado pela gaulesa Catherine-Zeta Jones (Chicago) e pelo ator Aaron Eckhart (Obrigado, por fumar). Bem, o filme é bem a cara do diretor Scott Hicks (Shine) hermético, colorido e com atuações, digamos, honestas. O fato é que essa produção é um remake bem fiel (bem) à produção germânico-italiana “Simplesmente  Marta” (2001) que é de longe meu favorito. Não só pela excelente atriz Martina Gedeck, mas porque, diferente do filme americano, tudo em “Simplesmente Marta” faz sentido.

Em uma breve sinopse: A chef de cozinha Marta (em Sem Reservas virou Kate Armstrong) vive pela gastronomia. É uma chef bastante conceituada que vai do trabalho para casa e de casa para o trabalho. Não é muito sociável, é perfeccionista e não admite interferências em seu trabalho. Desse modo, refugia-se em seu trabalho esquecendo-se do convívio familiar e social. Uma tragédia em sua família vai mudar seu cotidiano e concomitantemente a vinda de um novo chef (em Simplesmente Marta é um italiano, o ator Sergio Castellito) muda também os rumos profissionais e afetivos. Ah, ela também atormenta a vida do seu terapeuta com essa obsessão pela perfeição na cozinha.  

sem-reservas01

Até aí tudo bem. A diferença de um filme para outro é que esse chef que aparece para mudar a sua vida é o ponto crucial da trama, porém, na produção americana esse pequeno detalhe ficou renegado a um segundo plano. Ora, você imagine uma chef alemã (sistemática, silenciosa, organizada) que de repente se vê frente a um italiano que só trabalha ouvindo e cantando ópera, (faz mais sentido quando se é italiano) isso quando não resolve dançar na cozinha. Além disso, quando ele chega toda a brigada de serviço se encanta (quem não se rende aos encantos dos italianos) com esse novo método de trabalho. Já no americano, é um chef que se vale de galanteios para conquistar a chef durona. Fica plástico demais. É como se fosse mais uma das comédias românticas só que ambientado em uma cozinha.

mostly_martha

Fico com a delicadeza de “Simplesmente Marta”, com a trilha sonora, com o piquenique no chão da sala e na degustação às cegas que o chef italiano faz para Marta. É uma elegia à sensibilidade diferente da beleza inacreditável de Zeta-Jones e o cinismo galante de Aaron Eckhart.  Sou mais a simplicidade de Marta. Mas, quem quiser deve assistir aos dois e escolher qual gosta mais.

Para encerrar há uma cena ao final do filme que eu adoro: Marta vai ao consultório de seu psicanalista e ele fez um bolo que ela ensinou. Quando ela vai degustar, Marta diz que não está bom e afirma que ele não usou o açúcar belga que ela havia indicado. Ele responde: – Não acredito que você sabe qual açúcar eu coloquei no bolo!

E ela responde: – Não sei mesmo. Sei qual você não colocou.

Essa cena vale o filme.

Fichas técnicas:

Simplesmente Marta

Título Original: Mostly Martha/ Drei Sterne

Ano: 2001

PAÍS DE ORIGEM: Alemanha

IDIOMA: Alemão/Italiano

DURAÇÃO: 195 min

DIRETOR: Sandra Nettelbeck

ROTEIRO: Sandra Nettelbeck

ELENCO: Martina Gedeck; Sergio Castellitto; Máxime Foerste; Ulich Thomsen; Katja Studt; August Ziener; Sibylle Canônica

 

Sem Reservas

Título Original: No Reservations

Gênero: Comédia Romântica

Ano de Lançamento (EUA / Austrália): 2007

Site Oficial: http://www.semreservas.com.br

Direção: Scott Hicks

Roteiro: Carol Fuchs, baseado em roteiro de Sandra Nettelbeck

Trailers:

 

Chocolate para o coração

3 abr

Lindt 85% cacau; crédito das fotos QVinho

Que tal aproveitar a ocasião da Páscoa em que todo mundo fala de chocolate e promover uma degustação de chocolates com percentual alto de cacau? Ao invés de você se acabar no açúcar e nos flavorizantes artificiais, tira o domingão e escolhe um desses. O chocolate amargo tem maior percentual de cacau e menor adição das gorduras do leite, além de conter alto teor de flavonóides, antioxidantes que reduzem os riscos das doenças cardiovasculares. Um recente estudo italiano mostrou, pela primeira vez, que o consumo moderado de chocolate preto pode reduzir significativamente os níveis da proteína C ultrasensível. Cerca de 4.849 indivíduos saudáveis, sem fatores de risco para a aterosclerose, foram avaliados .

Os pesquisadores identificaram 1.317 indivíduos sem o hábito de consumo de chocolate e 824 com consumo regular de chocolate escuro. Em seguida, os pesquisadores relacionaram as concentrações do sangue da proteína C ultrasensível desses indivíduos, ao consumo habitual de chocolate dos mesmos. Mas atenção, nada de exagero, a porção indicada é equivalente a  um quadrado pequeno de chocolate duas ou três vezes por semana. De acordo com o mesmo estudo foi verificado  que os indivíduos com um consumo acima dessa quantidade, apresentam uma tendência de redução do benefício. Se o consumo é excessivo, o fator protetor desaparece, da mesma forma como ocorre em relação ao consumo de vinho. (Fonte: http://portaldocoracao.uol.com.br).

No excelente Blog “QVinho” foi feita uma avaliação dos melhores chocolates na opinião dos editores Jackson e Jomar em 26 de setembro de 2008. Da lista que eles criaram eu provei uns três e devo dizer que concordo com eles, apesar de não possuir conhecimento tão profundo sobre o assunto.   

O link do texto é:

http://www.qvinho.com.br/gastronomia/chocolates-finos-dark-cacau/

Alguns são encontrados no Mercado Municipal de Curitiba ou ainda podem ser encomendados em lojas de importados. Não são tão caros e valem a pena, pelo menos provar!

 

Mas, enquanto a páscoa não chega, que tal ouvir e ver uma versão deliciosa de “Chocolate” de Tim Maia, ao vivo no programa “Ensaio” da TV Cultura em 1992? Tim Maia também faz bem pro coração e não tem contra-indicação.