Arquivo | dezembro, 2010

Um bom ano

21 dez

 

 

Sabrina Demozzi

2010 foi um ano bom, pelo menos pra mim. Aprendi muito e cheguei a algumas conclusões que provavelmente vão servir como base para um 2011 mais, digamos, pleno. Aprendi que existem algumas pessoas que não merecem seu esforço e são essas que vão sugar você até te forçar a desistir colocando em cheque quem você é e sua competência. NINGUÉM sabe melhor do que você em qual trabalho se encaixa melhor, o que gosta de fazer e o que faz bem. NUNCA confie em quem te liga pra falar de trabalho no meio da madrugada ou quem faz você se sentir culpado porque não está trabalhando. Não confie em quem só fala de dinheiro, só liga pra pedir alguma coisa, tem pensamentos preconceituosos ou medíocres. Fuja sempre dessas pessoas.

Esse ano gastei muito mais do que ganhei, virei meu pé, bateram no meu carro, bati no carro dos outros, acreditei em ideias que “revolucionariam” o mundo mas que não saíram do papel, li pouco, não atualizei o Linkedin, trabalhei muito, não economizei, não fiz nenhum trabalho voluntário, tentei sem sucesso seguir algumas dietas e semana passada meu óculos quebrou. É, 2010 foi um ano daqueles.

Em contrapartida já que nada é tão ruim quanto parece, esse ano cozinhei melhor do que ano passado e provavelmente estarei cozinhando melhor no ano que vem: um passo de cada vez, pois sou estudante e aprendo todo dia. Consegui um novo trabalho, fortaleci algumas amizades, fiz terapia floral e voltei a fazer Yoga. Uma fase new age. Além disso, fiz alguns cursos na área de conteúdo para web, trabalhei gerenciando o Twitter e o Facebook de uma empresa e me rendi ao IPod e ao IPad. Ver receitas no Ipad me fizeram mandar beijinhos para Steve Jobs. Ler jornal então, jogar Angry Birds… Uma fase hi-tech, enfim. Fui a alguns shows, conheci lugares diferentes e aprendi a gostar muito de videogame. Passei mais tempo com meu amorzinho, Iran, e ensinei ele a fazer pizza, molho de tomate e gostar de Franz Ferdinand e Killers. Ok, só um pouco.

Na próxima sexta-feira (23)  entro em férias do meu novo trabalho, cozinho no Natal e faço o já sagrado ritual de desligar a televisão até o carnaval e colocar a cultura em dia para recarregar as energias.  A única promessa que faço em 2011 é atualizar com mais freqüência esse blog, que há quase 3 anos é meu companheiro de dias bons e ruins.

Ademais, desejo a todos que me acompanharam em 2010 e aos que não me acompanharam também um fim de ano cheio de alegria junto aos seus amigos e familiares. Não vou dar dicas de ceia esse ano, pois nem eu sei o que vou preparar, mas postarei 1 vídeo de uma sobremesa e um livrinho de receitas veganas indicado pelo meu querido amigo Thiago Valério. Ao contrário do que possa imaginar, as receitas são deliciosas e sofisticadas e qualquer um pode oferecer essa opção para os convidados. Não sou vegetariana, mas gosto de comida boa independente se leva carne ou não e esse livrinho é especial.

O primeiro é uma receita de Suflê de Goiabada feita pelo grande chef Claude Troisgos: barato, fácil e rápido de fazer. O livrinho está no link e todo mundo pode baixar.

Feliz Natal a todos e um ótimo 2011!                     

Link para o livrinho:

http://vista-se.com.br/redesocial/receitas-veganas-de-fim-de-ano/

O que se come nos Estados Unidos, Portugal e na Itália no Natal?

7 dez

Sabrina Demozzi

Podemos afirmar que nenhuma ceia é igual. Alguns alimentos e sabores se assemelham nas preparações, mas é quase impossível determinar com exatidão o que será servido no Natal nos países que comemoram essa data católica. Só para ter uma ideia, no Brasil já temos variações consideráveis, por exemplo, enquanto nos centros urbanos a maioria das pessoas corre para pegar o melhor Peru, no interior é bastante comum vermos preparações feitas com carne de porco e frango, já no litoral a procura por peixes é muito maior.

Além desses fatores também é preciso considerar que muitas vezes as pessoas não dispõem de recursos para preparar uma refeição suntuosa ou ainda não tem ideia de como preparar pratos diferentes aos que estão habituados nas refeições de domingo, por exemplo. Por esses e outros motivos sempre tive curiosidade de saber o que se come em algumas regiões do mundo no Natal. Nos Estados Unidos, por exemplo, o peru e o tender são os pratos principais acompanhados geralmente de ervilhas frescas, purê de batatas e pão de milho. Os molhos são espessos e escuros e costumam ser servidos à parte, já a sobremesa pode ser rabanada, torta de ruibarbo, maçã ou noz pecan. Bebe-se antes de servir a ceia o eggnog (o eggnog é uma combinação de brandy, leite, ovo e açúcar, servida com uma pitada de noz moscada).

Essas preparações costumam ser servidas no dia de Ação de Graças comemorado na quarta quinta- feira de novembro nos Estados Unidos e no Canadá.

Já em Portugal é bastante comum o consumo do bacalhau e das carnes assadas. Além disso, o polvo grelhado ao vinho tinto também é bem comum. Geralmente as guarnições são compostas de batatas, couve portuguesa e legumes. O peru é recheado com um creme feito a partir de castanhas portuguesas que precisam ser cozidas e depois processadas. Ainda é comum servir canja de galinha e em seguida um assado que pode ser o peru ou até galinha assada. Bebe-se durante todo o dia de Natal uma espécie de “quentão”, conhecido como vinho quente aromatizado com mel, casca de laranja e canela.

Os doces portugueses são um capítulo à parte: costuma-se servir as famosas rabanadas, sonhos e os filhós (Filhós são doces fritos, feitos à base de farinha de trigo e ovo. Doce português da Beira, típico da época natalícia, é também muito popular em algumas regiões do nordeste brasileiro, sobretudo no período do Carnaval) e as azevias que são uma espécie de pastel recheados com batata doce, amêndoas, açúcar e gemas. São servidos polvilhados com açúcar e canela. Na Ilha da Madeira ainda é típico o Bolo de Mel da Madeira que leva vinho da Madeira, cravo, especiarias, erva doce e mel. É comum decorar a mesa com frutas secas e servi-las enquanto a refeição principal ainda não está pronta.  

Na Itália, a fartura e a diversidade imperam. Desde os antepastos até a sobremesa, o que se nota é uma variedade de sabores que privilegiam os ingredientes típicos de cada região. Por exemplo, na região da comuna de Serravalle Langhe( região do Piemonte) prepara-se Pato Assado servido com polenta, no Lazio costuma-se preparar Cordeiro ao forno com alho e limão e na Toscana o prato típico é o Bollito Misto, um cozido de carne bastante aromatizado servido com legumes. É comum ainda o preparo das massas como capelettis de carne, nhoques à romana, papardelles e outras.

*

As sobremesas variam, mas é comum o consumo do Pan D´Oro em Verona que é uma espécie de bolo aromatizado com baunilha e polvilhado com açúcar de confeiteiro. Atualmente costuma-se abrir um buraco no centro do bolo e colocar chantily ou sorvete de baunilha. Ainda prepara-se  tiramissu (sobremesa feita à base de café, biscoito champagne e queijo mascarpone), sorvetes, panacottas e biscoitos como biscoito de canela e os famosos cantucci feitos com amêndoas e amaretto.

 

* Créditos das imagens: Corriere de La Sera

O que se come?

6 dez

Estou preparando um post para hoje ou amanhã, sobre o que se come em alguns países do mundo para comemorar o Natal. Até mesmo no Brasil, as diferenças entre o que se come numa região e outra são imensas. Qual é a sobremesa típica na Itália, por exemplo, feita para comemorar essa data? E em Portugal? Nos EUA como é a ceia? Que tipo de alimento é consumido? Vou procurar responder a todas essas questões.