2011: o ano em que cozinharemos mais e comeremos melhor

4 jan

Sabrina Demozzi

No final do ano passado foi publicada uma pesquisa feita por uma universidade em São Paulo que dizia que o brasileiro come mais produtos industrializados porque é mais barato do que consumir alimentos frescos.  Quando foram entrevistar algumas pessoas na rua elas diziam que também a falta de tempo era um empecilho, e era mais rápido descongelar algo que já estivesse pronto.

Comentei com algumas pessoas e a maioria acha que as pessoas não cozinham por preguiça e que é uma desculpa esfarrapada servir algo cheio de conservantes, sódio e gordura para seus filhos e familiares.  Falo por mim: tenho dois empregos, escrevo em 3 sites diferentes e ainda faço faculdade. Eu sempre cozinho, mas de vez em quando cansa e a pizza parmegiana da esquina parece ser uma boa opção. Muitas vezes nem todo mundo tem uma disposição infinita para cozinhar e eu realmente não vejo problema nenhum nisso.

Mas, já que todo mundo faz previsões em 2011, eu também vou fazer uma. Em 2011, as pessoas vão cozinhar mais e procurar saber mais sobre o que estão comendo.  Você vai ouvir mais gente falando que está produzindo sua própria cerveja, que tem uma horta em casa e que leva a sobremesa no domingo. E com base em que eu falo isso?

1. Nenhuma, é tudo especulação.

2. Com base no meu apurado senso de especulação acredito que as pessoas estão cansadas de pagar muito por qualidade ruim nos estabelecimentos.

3. Cervejas artesanais já bombaram em 2010 e agora as pessoas vão querer fazer em casa. Só no meu círculo pessoal deve haver umas 20 pessoas que pensam nisso.

4. Aplicativos para IPad, Iphone: sim, acredito que com a “democratização” dos tablets e Iphones muita gente vai começar a se interessar pelo assunto, ou pelo menos buscar inspiração.

5- Novos consumidores de orgânicos, mais vegetarianos e mais busca por “comida saudável”. Sei que na maioria das vezes estes temas não estão relacionados porque muitas vezes o que é saudável não é necessariamente vegetariano e vice-versa, bem como orgânicos também contemplam alimentos de origem animal e por aí vai, mas nesse ano vai ser forte a questão da alimentação sustentável com foco no meio ambiente, em evitar o desperdício e no trato com animais.

6- A atenção com as pessoas que não tem o que comer. Sim, ainda tem gente no Brasil que não possui nada para se alimentar. E é preciso fazer algo.

7- Comer melhor não quer dizer necessariamente gastar mais com isso. É inteligente de nossa parte procurar locais mais próximos de casa, produtores locais e estabelecimentos de bairro. Falo isso, porque muitas vezes pagamos demais por grife. Como o caso da embalagem com 4 carambolas compradas no Mercado Municipal a R$ 9,00 e que no Sacolão do lado de casa custava R$ 1,99. A mesma qualidade. Mais carambolas no sacolão. Fora o maracujá a preço de açafrão.

8- Bem, em todo o caso cozinhem mais e me chamem que eu vou!

Para mostrar que minhas previsões começaram bem, tenho duas fotos de preparações feitas por pessoas que não costumavam cozinhar e iniciaram 2011 mostrando dotes até então escondidos. A foto da “Torta Holandesa” é da Gabrielle, minha irmã e a outra dos Nachos da Sílvia Valim, uma famosa repórter de Curitiba. As Margaritas foram produzidas pela Alessandra, habitué desse blog e que se descobriu cozinheira de mão cheia.

Nachos Calientes (pero no mucho) de Silvia Valim

Anúncios

7 Respostas to “2011: o ano em que cozinharemos mais e comeremos melhor”

  1. Alina Prochmann janeiro 5, 2011 às 12:48 am #

    Concordo com você, Sassá. Sabe o que ganhei de Natal? Aquele livrão Dona Benta! Nham nham… Beijos

    • temperomental janeiro 5, 2011 às 1:04 pm #

      Tá vendo? Previsões já começam acertadas né? Esse livro é a primeira grande compilação de receitas brasileiras, e é maravilhoso! Quanta manteiga! Quantas gemas!

      beijos e sempre obrigada por comentar!

  2. Silvinha Valim janeiro 5, 2011 às 12:53 pm #

    Is totaly true.
    No caso, acho que não só o ano de 2011, as pesquisas e a vontade de comer melhor me inspiraram.
    Mas também o amor.
    Ter para quem cozinhar. E ainda, alguém que saiba admirar e criticar a gastronomia de qualidade, nos incentiva ainda mais a criar e degustar.
    Minha última façanha foi um Yakissoba de carne bovina.
    Recebi por ele o melhor elogio que uma cozinheira, de qualquer nível, acho que pode receber. Embora o autor dos disparos seja um tanto suspeito:
    “Eu não comeria melhor nem na China”.

    • temperomental janeiro 5, 2011 às 1:06 pm #

      Você tem toda a razão. E um elogio como esses, realmente só motiva a nos arriscarmos ainda mais e partir para novos continentes gastronômicos, não é?

      • Iran Schleder janeiro 5, 2011 às 2:17 pm #

        Isso aí meninas, e se precisarem de um barman pra preparar os drinks chama o Tiza aqui. Amo vocês, mas me desculpe o resto, pois especial só a minha nega Sabrina. Manda muuuuuuuuuuuuito bem!!!!

  3. Alessandra janeiro 5, 2011 às 5:26 pm #

    Sá…eu comecei o Ano Novo na cozinha e foi divertidíssimo! Uma ceia simples, rápida, pra mais três amigos. Ver que ficaram felizes por eu ter me atirado na cozinha e ter dado certo, foi muito recompensador. Voltando de viagem, já achei receita na revista de bordo do avião que quero testar. É algo avançado (pratos agridoces, salmão) mas arriscarei.
    Vc tem grande parte de “culpa” nisso, hehehe!
    Um beijo grande e que o Tempero Mental bombe ainda mais!

  4. Gabrielle fevereiro 19, 2011 às 2:41 am #

    Minha torta!!!!!!!!!!! Olha só que lindo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: