Sobre a humildade

10 jun

Sabrina Demozzi

 

Uma vez vi um documentário sobre cultura popular em que Antônio Nóbrega visitava algumas regiões no Brasil e conversava com as pessoas. Em uma cena, um senhor vai receber o Antônio e ao cumprimentá-lo, fala seu nome e completa: “meu nome é tal (não lembro) “seu criado”. Antônio educadamente responde: Muito prazer e aqui não tem criado de ninguém não…

Acho que nunca vi na televisão brasileira um exemplo tão genuíno de humildade. Um espaço onde tanta gente acha que é tanta coisa, lembro que guardei essa cena e fora esquecer os detalhes, carrego comigo a lição que ela passa.

Estou me formando em curso de Tecnologia em Gastronomia na PUC-PR daqui a três semanas. Já sou formada em Jornalismo há 5 anos. Nas duas profissões o ego é um acompanhante quase que inevitável. Hoje, porém falo de como é preciso ensinar humildade para os futuros chefs de cozinha. E isso se ensina? Não estou falando de preceitos religiosos ou auto-ajuda aqui, mas um exercício de humildade deveria existir.

Vejo alunos que não admitem serem contrariados por professor e que acreditam que porque estão pagando tem o direito de copiar trabalhos e apresentar qualquer coisa. São esses que não leem, não se informam e que fazem uma faculdade de dois anos e meio porque precisam de um diploma. Sabemos que isso acontece em todos os cursos, claro, mas, no caso da gastronomia me parece interessante levantar a questão de que tipo de profissionais serão formados.

O mesmo cara que diz que é chef  é o cara que frita camarão ao invés de saltear. O que quero dizer: uma técnica básica que exige apenas atenção e concentração é feita de forma errada porque simplesmente o sujeito não ouve. Eu também de vez em quando acabo me rendendo às provocações do meu egocentrismo (que dorme, mas não morre), mas juro que tento ser o mais humilde possível.

Em um ambiente onde a perícia técnica somada a outros fatores, claro, é determinante para se classificar quem é melhor e quem é pior, é inevitável que alguém com mais habilidade queira se sobressair, mas acredito realmente que o sujeito que sai por aí alardeando que é o melhor, não passa de alguém buscando afirmação. Quem é bom, e é reconhecido não precisa ficar falando.

Para a ordem natural das coisas atualmente sujeito bom é o sujeito que aparece. E a coisa caminha pra isso mesmo.

Por isso, toda vez que me bate a vontade de dar uma de babaca eu me lembro daquela cena e me coloco no meu lugar.

“Muito prazer e aqui não tem criado de ninguém não…”

 

Anúncios

6 Respostas to “Sobre a humildade”

  1. LG junho 10, 2011 às 1:51 pm #

    Enfim, mesmo estando ao seu lado dia após dia no ambiente de trabalho, creio que seja importante ainda dizer e lembrar seus leitores que HUMILDADE não tem relação com POBREZA. Qualquer um pode ter o dinheiro que couber no universo e ainda assim ser HUMILDE. Como também, pode ser pobre de não ter o que comer, e ainda assim, enfiar a HUMILDADE no lixo…

  2. @waasantista junho 18, 2011 às 2:50 am #

    Excelente!

  3. Bruno Vertuoso junho 29, 2011 às 4:04 pm #

    Massa Sabrina!
    Belo post.
    Esse é um tema no qual eu tenho reparado desde que eu fiz o curso do Senac e que tem me incomodado muito. Realmente tem uma galera n tem sequer noção das coisas e crê que já é chef, que é melhor do que outros, e os destrata por isso. Tem ainda aqueles, que por trabalharem em um lugar elegante acham que isso é grande coisa. O cara que trabalha em um restaurante medíocre pode ser sim um grande cozinheiro, assim como o cara que trampa em um grande restaurante pode ser um cozinheiro medíocre.
    Quando eu me pego agindo de maneira parecida lembro do meu pai, que diz:”Pra ser um bom patrão, tem que um bom peão.”.
    Boa!

    • temperomental junho 30, 2011 às 12:29 pm #

      Bruno,

      Primeiro: valeu pelo comentário. Segundo, concordo com tudo o que você escreveu. E terceiro, você é um exemplo de humildade e de talento. Ouvi gente dizer que aprendeu mais com você do que com professor.

      Vamos marcar um risóles no pudim ou uma polenta na Di Frango qualquer hora dessas!
      bj e tudo de bom.

      • Bruno Vertuoso julho 1, 2011 às 4:04 am #

        Pô Sabrina!
        Vc tmbm é uma guria talentosa pra caramba!
        Em varias áreas inclusive, afinal seu blog é excelente, pois além de acessível tem posts bem pertinentes e que merecem toda a atenção. N encontrei um post que eu tenha lido e n tenha curtido. Sério.
        Podemos tomar sim uma cerpela a qualquer hora. Ou ainda comer um green dog, talvez.
        Foi muito massa conviver com vc durante estes anos de facul.
        Vamos manter contato!
        Sucesso garota!
        Divirta-se!

      • temperomental julho 1, 2011 às 11:03 am #

        Green Dog é bão. Daí andamos um pouco e tomamos uma ali no Cais (é assim que escreve)?
        Sucesso pra nós. Acho que a gente está no caminho certo!

        Beijo e me passa seu tel por email.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: