Tapas não são aperitivos feitos com pão velho

21 out

Sabrina Demozzi

Tapas são uma variedade de pequenas porções de alimentos

Tapas são uma espécie de “entradinhas” de origem espanhola que servem como um “forra estômago” antes da refeição principal. De acordo com a história das “Tapas” encontrada no site “El Mundo de Las Tapas” para ser considerada uma tapa de verdade ela deve ser servida entre as refeições principais e como um alimento que “permite ao corpo aguentar até a refeição ser servida ou antes do jantar”. Ainda de acordo com o site, as tapas nasceram, de acordo com alguns autores, por causa da doença do rei espanhol Alfonso X, o sábio, que foi obrigado a comer pequenas porções de alimento com pequenos goles de vinho. Ele gostou do hábito e mesmo depois de curado achou interessante combinar o vinho com alimentos assim, pois em muitos casos o efeito da bebida era intensificado, pois as pessoas não conseguiam pagar por uma refeição propriamente dita.

Porém, os autores do site defendem a teoria de que as tapas nasceram da necessidade dos agricultores e trabalhadores de ingerir um “pequeno alimento” durante sua jornada de trabalho que permitiriam que eles continuassem trabalhando até a hora da refeição principal.  

Quando na Espanha se popularizaram as tabernas e bodegas a tradição das tapas se consolidava conforme as instruções do Rei Alfonso. O nome “tapa” teria surgido do hábito de cobrir a garrafa de vinho que costumava acompanhar as refeições com um pedaço de presunto (jámon), uma rodela de melão ou um pedaço de queijo e evitar assim que caíssem impurezas e insetos na bebida e também garantir um alimento sólido para acompanhar o vinho.

Você não vê pão velho aqui, vê?

As receitas das tapas variam muito de região para região, mas alguns ingredientes são comuns como as azeitonas grandes recheadas, frutos secos, pão amanhecido, embutidos, conservas, lombo, frutas, o presunto ibérico, peixe, frutos do mar, ovos, verduras e legumes em geral. Com o tempo variedades foram surgindo e acrescentando frituras às preparações como os “sonhos” de bacalhau, croquetes e bolinhos. Escabeches também surgiram, assim como as tortilhas de batata e variações.

Crítica ao pão velho com patê

Mesmo que pareça simples fazer as tapas, é preciso considerar todo um cuidado na hora de escolher ingredientes, preparar as “salsas” e montá-las. Não custa nada dourar levemente o pão e esfregar nele um dente de alho ou uma pastinha feita com alho e salsa, tomate, um talo de salsão…  Mas, para alguns restaurantes aqui em Curitiba patê mal feito em cima de pão velho e preço absurdo é tapa. Além da falta de proximidade com a tradição e a falta de qualidade de itens essenciais para a preparação, como o caso do presunto ibérico.

É louvável um restaurante que busca inovar trazendo a cultura espanhola para a cidade. Porém, merece crítica o fato de que se não há a possibilidade de servir o que se pretende de forma adequada, é melhor não fazer. Pois além de prejudicar a imagem do restaurante, ainda contribui para que as pessoas acreditem que tapas são “restos de pão com algo em cima” e não deem o merecido valor que o alimento possui.

Neste link: http://www.arrakis.es/~jols/tapas/index1.html há algumas receitas de tapas para quem quiser conhecer. A maioria delas é fácil de reproduzir e elas são uma opção interessante para quem vai fazer um evento em casa: não custa caro, podem ser servidas antes da refeição principal ou apenas acompanhar um vinho, uma sangria.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: