Por favor, vá embora

13 nov

Sabrina Demozzi

Não tá fácil pra ninguém. Fato. Crise na Europa, nos Estados Unidos, empregos ruins no Brasil (que pagam pouco e exigem muito) e por aí vai. Porém, nada justifica o péssimo atendimento em alguns estabelecimentos de fast food em Curitiba. Já falamos disso antes em relação à demora no atendimento do restaurante que deveria ser fast, mas é que surgiu mais uma variante disso: a má vontade em atender ao cliente.

Crédito da Imagem: Curso de Coaching

Quando não estamos contentes com a situação que nos encontramos na vida, fazemos o quê? Concluímos o ensino médio? Cursamos outra faculdade ou um curso técnico que vá nos preparar para um mercado competitivo? Buscamos oportunidades de cursos gratuitos em universidades para aprender um novo ofício? Senacs e Sescs da vida? Fazemos biscoitos pra vender? Buscamos outro emprego… Corre-se atrás, não é? É muito fácil adotarmos uma postura de coitadinhos na vida. Eu mesma não sei quando terminarei de pagar meus estudos já que terminei uma faculdade e entrei em outra e agora começo um mestrado (em uma universidade federal) que vai tomar (ainda bem!) parte do tempo que dedico a um dos meus empregos.

Nunca trabalhei em uma rede de fast food e tiro meu chapéu a aqueles que fazem isso de sua vida. Porém acredito que o gerente ou sei lá quem deveria observar a postura dos funcionários, precisa estar atento a como o colaborador atende ao cliente e buscar entendê-lo, verificar sua motivação e tentar mantê-los minimamente felizes com o trabalho. Não é o emprego dos sonhos de ninguém trabalhar horas em pé, nos finais de semana e atendendo gente que muitas vezes não sabe o que quer, mas uma vez que me dispus a fazer isso, devo fazê-lo da melhor maneira possível.

Funcionários desmotivados, restaurante vazio

 Tem um restaurante em um shopping de alta classe em Curitiba que tem tudo pra dar certo: cardápio variado e saudável, boa comunicação visual, boa localização e preços ok para um estabelecimento no shopping, porém ele está sempre vazio. Por quê? A funcionária é uma moça que está sempre sentada, quase deitada na bancada. Ela está ali por obrigação e mal fala quando o cliente pergunta alguma coisa. A outra também fica sentada, sem fazer nada. A mensagem visual que elas passam é: por favor, vá embora. E o estabelecimento fica ali, às moscas. Todo mundo sai perdendo: o cliente, o dono do lugar e o funcionário. A consequência é prejuízo.

Mas o que fazer? Se seu restaurante é novo, observe que tipo de público você quer atender. Faça-se presente nas redes sociais, tire fotos dos pratos e conte os benefícios de uma refeição balanceada por exemplo. Gere contexto: Está de dieta? Nós temos o prato ideal pra você! Fale no Twitter, no Facebook (crie uma Fan Page e não um perfil pessoal), coloque uma promotora perto dos cinemas (no caso de shopping), faça promoções nas redes sociais (Fã no Facebook ganha uma pizza brotinho na compra de uma calabresa média). Atenda ao público vegetariano e quem tem restrições, como os diabéticos. Veja o que o público quer. Treine uma dessas funcionárias que fica no caixa o dia inteiro pra monitorar isso nas redes sociais.

Nesse caso as redes sociais funcionam bem. Mas antes de sair por aí contratando uma empresa pra fazer isso pra você, analise se o seu público é usuário dessas redes, do contrário corre-se o risco de ficar falando sozinho. E não abandone seu negócio na internet. Criou, tem que cuidar diariamente, monitorando e ouvindo o que as pessoas querem.

Eu fico particularmente triste quando vejo um negócio que não dá certo. Esse que comentei acima, merecia ter melhores resultados, mas é preciso que se faça alguma coisa, pois a coisa é cíclica. Mau atendimento, cliente não volta mais e comenta com os outros, funcionários desmotivados, dono que arca com o prejuízo. Porém, desejo que alguns estabelecimentos que faltam o respeito com o funcionário obrigando-o a jornadas exaustivas e tratamento abusivo quebrem e percam os clientes. Eu não compactuo com isso e deixo de ir ao estabelecimento, sem dúvida.

No site Gestão de Restaurantes é possível encontrar uma infinidade de informações sobre marketing, cursos, atendimento, notícias… enfim, várias ferramentas para quem tem um estabelecimento de alimentação. Vale a pena dar uma conferida.

Anúncios

3 Respostas to “Por favor, vá embora”

  1. Andre Fontana novembro 22, 2011 às 2:30 pm #

    Aee Sá, antes de tudo, parabéns pela conquista do Mestrado. Você sabe que merece.
    Esse post é sensacional, pois mostra o que acontece com os restaurantes hoje em dia, onde nem sempre, mas na maioria dos casos, a cozinha se esforça para fazer o serviço bem feito e é prejudicada pela equipe do atendimento direto, tenho esse problema… quer dizer, ja tive esse problema, hehe, em um dos restaurantes que trabalhei.
    Beijos,
    Andre Fontana

    • temperomental novembro 24, 2011 às 11:23 pm #

      Beijo meu querido.. obrigada por comentar aqui! Pois é, a coisa não tá fácil mesmo. Logo vou fazer uma taxa aí pra vc.
      beijo!

  2. Cristiano Wagner Hirano dezembro 5, 2011 às 8:02 am #

    Ótimo o site Gestão de Restaurantes!!
    Vou reservar um tempinho para ver com mais calma!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: