Crianças na cozinha

11 dez

Programa “Junior Master Chef Austrália”  traz crianças na faixa etária de 8 a 12 anos para competirem como adultos na cozinha

Sabrina Demozzi

O programa Master Chef é uma produção britânica que foi adaptada pela produtora australiana “Shine Australia” em 2010. Ele tem basicamente todas as características dos  reality shows e programas de competição de cozinha com juízes, temas diversos a serem cumpridos, etc, etc. A diferença é que ao contrário do Top Chef exibido pela Sony, Master Chef não é protagonizado por chefs profissionais, mas sim por entusiastas e pessoas que acreditam que cozinham bem. No programa elas são julgadas por suas habilidades e criatividade na execução das preparações. Os juízes não têm o mesmo carisma de Tom, Padma e Eric Ribert de Top Chef, ao contrário, com exceção de um ou outro todos são afetadíssimos, cheios de pompa e circunstância.

Poderia ser apenas mais um programa de TV ruim, o fato é que além de prestar um desserviço para a gastronomia por estimular apenas a competição e não o conhecimento gastronômico (Carlos Alberto Dória no seu excelente blog cita um texto do filósofo Robert Redeker que fala sobre isso- Cozinha hiper-midiática não é boa para a gastronomia) o programa contribui para passar uma imagem bastante equivocada da carreira de chef.

A primeira temporada foi veiculada em julho de 2010. 5000 crianças se inscreverem e 50 foram escolhidas para participar das competições. As crianças são submetidas a provas de cozinha condizentes com a sua idade e julgadas. É uma gritaria, uma bagunça, a platéia berrando. Um circo, enfim. (Com todo o respeito ao circo, ok?). Poderia ser uma competição de qualquer coisa, cozinha é só um tema. Como o filósofo Robert Redeker escreve “Em “Master Chef” – assim como em “jantar quase perfeito” na M6 – TF1, não se valoriza a cozinha, mas a competição. Na verdade, transforma-se a cozinha num avatar do espectáculo desportivo para destruí-lo. Assim, como nos reality shows, “Master Chef” celebra o culto da concorrência, a lei do mais forte, desloca violentamente a atividade culinária para o universo da máxima bárbara: “o homem é o lobo do homem. ” (Tradução de Carlos Alberto Dória)

Já pensou isso considerando que os competidores são crianças? Quem se beneficia com uma pressão dessas aos 8, 9 anos de idade? Tudo bem que no programa umas crianças que até gostam de cozinhar e tal, eu mesma com 9 anos já cozinhava e sempre gostei, mas daí a estimular essa competição nessa idade,  será mesmo saudável? Será que essa criança que foi submetida a esse processo vai se tornar um grande chef ou a derrota no programa pode fazê-la desconfiar de suas capacidades e torná-la alguém problemática em relação a sua auto-estima? Ainda que se apregoe que não há “perdedores” na competição, não sei até que ponto uma competição pensada para adultos pode ser benéfica para crianças que nem sabem ainda o que querem fazer da vida. E elas são cobradas no programa: a textura dessa cenoura não está boa, esse molho não está ideal e assim por diante… Como elas podem responder a isso se o “treinamento” pelo qual elas passaram provavelmente vem de casa,  das preparações das mães e das avós, que salvo raríssimas exceções não possuem técnica formal de cozinha.

Pra quem não tem TV a cabo tem alguns episódios no YouTube. Confiram e vejam o que acham. Vou colocar aqui o vídeo com a chamada do programa pra vocês irem se ambientando com o negócio. No final da semana vou sugerir alguns sites e livrinhos pra quem vai fazer a ceia e quer gastar pouco, ok?

Anúncios

2 Respostas to “Crianças na cozinha”

  1. eduardo março 10, 2012 às 5:24 am #

    Odiei seu comentario sobre o junior master chef, pois em primeiro lugar mostra toda a capacidade daquelas crianças a fazerem pratos extraordinarios, que concerteza muitos ”chefs” teria dificuldade a fazer, enquanto a questao de competição garanto que eles sabiam das regras, entao ao inves de criticar poderia exaltar essas crianças, existem tantas ”competiçoes” de crianças na tv, porque nao ter uma que incentivem elas a procurarem seu melhor, garanto se elas com essa idade são quase perfeita, na sua entao nao quero nem imaginar como serão

    • temperomental março 10, 2012 às 11:40 am #

      Eduardo, obrigada pelo comentário. Respeito sue ponto de vista, mas insisto em dizer que esse tipo de programa nāo é bom para a gastronomia. Mesmo que existam vários programas que estimulem competiçāo entre crianças, acho francamente que chamar uma criança de 8 anos de chef é um exagero. É preciso estudar e trabalhar muito, e nāo ser exposto como tal em um programa. Mas, fique a vontade pra comentar o que quiser, ok? Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: