Tag Archives: i

Qual é o papel da crítica em um mundo em que todo mundo critica?

9 mar

De acordo com a ComScore (empresa de pesquisa de mercado que fornece dados de marketing e serviços para empresas da Internet) no Brasil 90,8% dos internautas acessa redes sociais e passa aproximadamente 18% do seu tempo online. Os usuários passam cerca de 4,7 horas em redes sociais por mês. Fazendo de um tudo: entre compartilhamento de fotos, vídeos, memes e imagens variadas, estão é claro as opiniões.

Imagem

Cientes de que todo mundo adora falar na internet, várias empresas foram espertas e começam a patrocinar o comentário dos usuários, ou seja, aquele que abastecer o site da empresa com mais comentários sobre serviços, estabelecimentos e produtos variados encabeça um ranking onde há prêmios e vantagens. Também há a crítica de pessoas que frequentaram determinado estabelecimento e querem emitir sua opinião sobre o serviço apresentado. Soma-se a isso comentários em blogs, portais de notícias e sites variados.

Era de se esperar que com a popularização da internet cada vez mais gente buscasse emitir sua opinião a respeito de quase tudo e no Brasil, especialmente, acompanhamos com esse movimento um crescimento considerável do “poder” de compra de classes que estavam de certa forma excluídas de determinados tipos de serviços, como os restaurantes (com certa regularidade de frequência), produtos industrializados, lanchonetes e outros.  

Particularmente acho positivo que as pessoas se questionem sobre aquilo que consomem e a maneira que expressam isso seja em comentários ou redes sociais é pra mim algo positivo. Entretanto, acho interessante levantar o debate do papel de um crítico de gastronomia ou serviços em um mundo em que quase todo mundo pode criticar o que quiser.

Já falei sobre o papel do crítico gastronômico neste post aqui, mas levanto um debate hoje  que me parece pertinente: criticar por criticar sem embasamento apenas para aparecer, ou ser premiado, ou “trollar” (polemizar gratuitamente) não é ruim? Não banaliza o sentido do questionamento? Não torna uma notícia ou fato importante em uma caricatura? Ou não: tudo isso faz parte de uma nova forma de pensamento em que as coisas são mais leves, menos elaboradas e que não exigem reflexão?

Muitas questões para serem pensadas e eu não tenho as respostas… Me ajudem a respondê-las!

Anúncios